TRATAMENTOS  
 
 
<< -- Voltar
 
 
 
 
 Rio Grande do Sul É o Estado com maior incidÊncia de cÂncer de prÓstata no Brasil
 

Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer do Ministério da Saúde - INCA, o Rio Grande do Sul é o estado com maior incidência da doença. E Porto Alegre, a capital brasileira mais afetada.
 A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Trata-se de um órgão pequeno, que tem a forma de uma noz e se situa logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. Ela produz parte do sêmen, que contém os espermatozóides, liberado na ejaculação.
No Brasil, segundo o INCA, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Em valores absolutos, é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de cânceres. Sua incidência é bastante variável, tanto ao redor do mundo quanto entre os estados de nosso país, visto que na maioria dos países asiáticos a sua incidência é muito menor que no ocidente. No Brasil esta mesma discrepância é observada entre os estados do norte e os do sul e sudeste do país. É considerado um câncer da terceira idade, já que cerca de 65% dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos. Porém, homens entre os 40 e 50 anos também podem ser acometidos pela doença, apresentando, muitas vezes, formas agressivas do tumor. O aumento na incidência do câncer de próstata no Brasil pode ser parcialmente justificado pela evolução dos métodos diagnósticos (exames), bem como pela melhoria na qualidade dos sistemas de informação do país e pelo aumento na expectativa de vida.
Alguns desses tumores, como dito anteriormente, podem crescer de forma rápida e agressiva, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar à morte. Porém, podem também evoluir de forma tão lenta (podendo levar cerca de 15 anos para atingir 1 cm³ ) que não chegam a dar sinais durante a vida e nem a ameaçar a saúde do homem.
Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer em geral, assim como também de outras doenças crônico-degenerativas. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, tais como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter um peso adequado, limitar o consumo de álcool e não fumar. A idade é um fator de risco importante para o câncer de próstata, uma vez que tanto a incidência quanto a mortalidade aumentam significativamente após os 50 anos. História familiar de câncer de próstata, tal como pai e/ou irmão ter sido acometido antes dos 60 anos, pode aumentar o risco em até 10 vezes quando comparado à população em geral.
Os exames iniciais de avaliação para o diagnóstico do câncer de próstata consistem na dosagem sanguínea do Antígeno Prostático Específico (PSA) e no exame de toque retal. Em casos suspeitos, o urologista realiza a biópsia prostática, que é o único exame capaz de concluir o diagnóstico.  Em nosso Serviço, esclarece o Dr. Gustavo, recomendamos que todos os homens a partir dos 40 anos realizem, pelo menos, a dosagem do PSA e sejam avaliados por um urologista anualmente.
Em sua fase inicial, o câncer da próstata tem evolução silenciosa. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite). Na fase avançada, pode provocar dores ósseas, sintomas urinários ou, quando mais grave, hemorragia e insuficiência renal.
O tratamento curativo para doença localizada tem como opções a cirurgia, a radioterapia (externa ou braquiterapia) ou até mesmo a observação vigilante em situações especiais. Na doença localmente avançada, onde o tumor já se expandiu para fora da próstata, mas não apresenta disseminação (metástases) à distância, a cirurgia e/ou radioterapia, em combinação ou não com tratamento de bloqueio hormonal, são as escolhas. Para a doença metastática, quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo, e o tratamento curativo já não é mais possível, o tratamento de eleição é a terapia de bloqueio hormonal para controle da doença, através de medicamentos ou da retirada cirúrgica dos testículos.
A escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após discutir os riscos e os benefícios do tratamento com o seu urologista.
É importante ressaltar, diz o Dr. Gustavo, que o diagnóstico precoce é a maior arma que temos contra o câncer de próstata, já que em estágios iniciais a cura pode ser alcançada em até 95% dos casos. “Qualquer homem pode ser acometido por câncer de próstata, mas, dificilmente, um homem que faz os seus exames anualmente morrerá de câncer de próstata.”

 
 
 
 
 
<< -- Voltar
 
 
 
 
 
[+] Ver todas certificações